Uva Tempranillo: Suas Características e Denominações!

A uva Tempranillo é um símbolo espanhol, no entanto, vem se espelhando e se adaptando muito bem ao redor do mundo.

Tempranillo
Tempranillo

Conheça as diversas opções de vinhos Tempranillo do Clube Paladar, o Clube de Vinhos do Estadão.

Eis aqui uma uva antiga. Pesquisadores têm hoje fartos indícios para afirmar, com relativa segurança, que a célebre uva espanhola Tempranillo, conhecida em Portugal como Tinta Roriz, já era cultivada por volta de 1.000 AC, na atual província de Cadiz.

Os fenícios, povo que cultivava videiras ancestrais há mais de um milênio, a teriam transportado de sua terra natal, atualmente o Líbano, para a Península Ibérica ainda nos tempos de Jesus Cristo. Na Espanha, essa variedade se adaptou de tal forma que, hoje, seus vinhedos representam quase 20% da enorme produção vitivinícola daquele país.

Lá, ela ganhou dezenas de nomes diferentes em distintas regiões e mostrou grande capacidade adaptativa, resultando em vinhos distintos em variados climas e regiões. Na Rioja, a Tempranillo atingiu sua maior expressão, com vinhos emblemáticos que alcançaram grande reputação e notoriedade, tornando-se incontestavelmente a casta símbolo da pujante viticultura espanhola, um país onde existem nada menos que 600 espécies de uvas nativas, número superior ao da Itália, outro país com grande variedade de uvas autóctones (regionais).

Seu nome se originou da expressão espanhola temprano, uma referência a seu brotamento precoce e rápida maturação. Ela é cultivada em praticamente todas as regiões espanholas, como nomes curiosos como Ull de Lebre, Cencibel, Tinta de Madrid e Tinta de Toro, dentre muitos outros. Nos Estados Unidos, ela recebe o curioso nome de Valdepeñas.

Em Portugal, a Tempranillo se chama Tinta Roriz, e é uma das variedades mais importantes da opulenta viticultura portuguesa. É uma uva de muitas qualidades, que aporta aos vinhos cor, aromas, taninos e, muito importante, resistência a oxidação, atributo que dá longevidade a bebida. Ela é conhecida também como Aragonês, no Alentejo, a segunda maior região produtora de Portugal.

Seu cultivo cresce em todo o mundo, e é considerada uma uva de cultivo relativamente fácil. Com cachos compactos e cilíndricos e de tamanho médio, tem bagos de casca grossa e coloração escura, devido a grande quantidade de pigmentos – os mesmos que contribuem para a longevidade de seus vinhos.

De um modo geral, é uma variedade de acidez média ou baixa, pouco açúcar e taninos expressivos. Ela vai bem nas regiões de altitude, grande amplitude térmica e resiste bem em terrenos mais secos e de grande insolação, bem como se adapta a solos pedregosos, argilosos calcários e graníticos. Sua colheita e vinificação acontecem sempre antes de outras variedades tintas espanholas.

Muito utilizada na produção de vinhos de corte (blends de diferentes uvas), ela costuma contribuir com maciez, estrutura e, nos rótulos mais refinados, com uma textura agradavelmente aveludada, resultando em vinhos de grande elegância. Possui aromas primários de frutas vermelhas e escuras, toques herbáceos e sutis especiarias.

Perfil Tempranillo

Quando amadurecido em barricas, um bom vinho de Tempranillo pode apresentar deliciosos aromas de tosta e notas de caramelo, bem como baunilha, mas esta última característica depende de outros fatores, como por exemplo, a origem do carvalho empregado na construção das barricas, o tempo que o vinho ficou em contato com a madeira e também se as barricas são novas ou usadas. Os bons vinhos elaborados com essa variedade podem ter grande potencial de guarda.

Sua grande capacidade adaptativa fez com que seu cultivo se expandisse por todo mundo. Países como Austrália, África do Sul e Estados Unidos vêm continuamente expandindo seus vinhedos de Tempranillo. Há quem aposte que, por sua versatilidade e facilidade de cultivo, a variedade pode se tornar, em um futuro não distante, uma opção de uva internacional, assim como aconteceu com a Cabernet Sauvignon e a Merlot, uvas de origem francesa que, com o tempo, se difundiram por todo o mundo.

Confira a seleção de vinhos Tepranillo escolhido pelo Clube Paladar, aqui.

Texto: Johnny Mazzilli.

Receba mais conteúdo por e-mail


Posts relacionados