Colônia – A Majestosa do Reno

Desde que foi eleita o quartel-general da torcida verde-amarela na Copa de 2006, o interesse dos nossos turistas pela cidade, assim como o número de visitantes, cresce a cada ano. E é fácil entender o porquê:  em Colônia, nos sentimos em casa.

Colônia - Alemanha

Seguindo nossa viagem por terras germânicas, nosso segundo destino foi Colônia. A viagem de carro a partir de Rüdesheim, na Primavera, é lindíssima. Campos de canola com suas flores amarelas saltam a vista, impactando os motoristas em toda parte. Estávamos ansiosos para explorar a cidade e relato abaixo o motivos.

Por Que Visitar Colônia?

Köln foi fundada em 50 DC pelo imperador romano Cláudio. Ele transformou o vilarejo Ópido Ubioro em Colônia Cláudia Ara Agripinense, em homenagem a sua esposa e sobrinha Agripina, que havia ali nascido. Devido ao novo status da cidade, comerciantes, artesãos e veteranos vieram de todo o Império Romano para a jovem cidade no Reno , ajudando a florescê-la.

De lá pra cá, a cidade passou pela dominação de vários povos, entre francos, romanos e gálicos, até ser considerada parte da Prússia, no século 19. Embora tenha sido palco de inúmeras disputas e tenha tido mais de 60% de sua área devastada durante a Segunda Guerra Mundial, Colônia segue crescendo soberana as margens do Reno.

Colônia- foto: mariana

 

Com uma população de mais de um milhão de pessoas, a cidade – a quarta maior da Alemanha, é amigável, tranquila e alegre (não a toa o tradicional Carnaval dura de novembro, até a quarta-feira de cinzas do ano seguinte).  Em comum com o Brasil, além da grande festa, a descontração. Isto ajuda a explicar porque Colônia tem uma das maiores comunidades de brasileiros residentes no país.

Desde que foi eleita o quartel-general da torcida verde-amarela na Copa de 2006, o interesse dos nossos turistas pela cidade, assim como o número de visitantes, cresce a cada ano. E é fácil entender o porquê:  em Colônia, nos sentimos em casa.

Lar de 240 igrejas, com mais de 40 museus e 130 galerias de arte, ela é considerada uma das cidades cultural e artisticamente mais ricas da Europa . Por isto, o tempo ideal para se conhecê-la bem é de três dias. No entanto, se o tempo for curto, da para ter bons momentos interessantes em um ou dois dias. Prefira a primavera e o outono, quando as temperaturas são amenas e é possível aproveitar bem os parques e se perder pelas margens do rio.

No quesito gastronômico, Köln não deixa a desejar. Com mais de três mil restaurantes de 182 diferentes nacionalidades, Colônia transita entre o multicultural e o tradicional, com opções para todos os gostos. Beber uma Kölsch em uma de suas centenárias cervejarias ou experimentar um ótimo Riesling na beira do rio é programa obrigatório.

Para complementar, a cidade ainda possui duas ruas comerciais famosas a Ehrenfeld  Schildergasse e Hohe Straße e dois bairros cheios de estilo Rheinauhafen, e o “Bairro Belga” para aqueles que querem fazer compras.

Nos próximos posts, dividirei mais sobre os principais pontos turísticos, meu roteiro e dicas de restaurantes. Acompanhe!

Texto: Mariana Castriota

 

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados