Culinária belga

Pouco difundida pelo mundo, a gastronomia belga não é muito conhecida por sua culinária, mas sim pela alta qualidade de seus cobiçados chocolates e por suas variadas e impecáveis cervejas artesanais

Stoemp aux Carottes

Com um território pequeno, a Bélgica desenvolveu sua cozinha a partir de ingredientes locais e de muitas influências recebidas de países vizinhos, notadamente da França. Desde os vikings, passando pelos romanos, espanhóis, franceses, holandeses e alemães, foram vários os povos que contribuíram com influências na culinária belga. Eles gostam de afirmar, bem humoradamente, que sua culinária tem a finesse francesa servida em quantidades alemãs. Na Bélgica, cultiva-se grande variedade de legumes e hortaliças que têm ampla utilização na culinária. O povo costuma preparar cremes e sopas com os quais abrem suas refeições. Gengibre, açafrão, canela e noz moscada são muito utilizados como temperos, assim como ervas frescas tais como cerefólio, estragão e tomilho.

A batata é um ingrediente quase onipresente na cozinha belga, que a utiliza de inúmeras formas. Fritas, cozidas, acompanhadas de carne de porco, em cozidos de vitelo, frango ou peixe ou ainda em sopas cremosas ou assados, elas estão presentes em quase todas as refeições.

Nas regiões costeiras, são muito comuns os pratos de pescados e de frutos do mar, como o emblemático moule et frites, os mariscos cozidos e servidos com batatas fritas e uma porção de maionese. Embora muitos acreditem que se trata de um prato da culinária francesa, o moule et frites surgiu na Bélgica e é o prato nacional por excelência. De tão popular que se tornou, o prato é servido em variadas formas, desde os tradicionais panelões que vêm à mesa com uma grande porção de batatas fritas e até mesmo sob a forma de lanche rápido, servido em práticos cones de papelão vendidos em barraquinhas.

Outro prato bastante popular e muito apreciado, que ilustra esta matéria, é o Stoemp (stump), que é basicamente um cozido de legumes e vegetais disponíveis, como batata, cenoura e alho-poró, posteriormente transformados em um purê rústico, servido com um naco de bacon, almôndegas ou linguiça. É uma comida caseira, rápida, prática e barata.

São tantas e tão boas as cervejas artesanais, comumente encorpadas e de alto teor alcoólico, que os belgas as utilizam corriqueiramente na culinária. São muitos os pratos que utilizam a bebida para o cozimento de carnes e legumes. É o caso dos carbonades, que são cozidos de carnes, ou do lapin aux pruneaux, o coelho com ameixas. Muitas dessas cervejas são elaboradas com métodos peculiares, como a maceração com cerejas e framboesas. Atualmente, há na Bélgica nada menos que 400 tipos de cervejas, a maioria encorpada e de alto teor alcoólico.

O Clube Paladar visitou um acolhedor restaurante belga em São Paulo, o Chez Vous, senão o único, um dos únicos representantes dessa culinária na cidade. Lá, o jovem e prestativo belga Lionel Sturnack, chef e proprietário do restaurante, preparou três pratos tradicionais da cozinha de seu país, que nós harmonizamos com três de nossos vinhos. As três receitas são substanciosas, de preparo simples e descomplicado, perfeitas para o leitor fazer em casa nesses dias frios, enquanto aprecia uma encorpada cerveja belga ou com os vinhos que sugerimos para combinar com a comida.

 

Les Boulettes Sauce Chasseur

 

RECEITAS

Les Boulettes Sauce Chasseur
Autênticas almôndegas belgas em molho de cerveja
Redimento: 4 porções

Ingredientes

500 g de carne de porco moída
500 g de carne de boi moída
5 cebolas
1 buquê de salsinha
2 ovos
Sal e pimenta
Noz moscada
Farinha de rosca
Sirop de Liège ou Le Sirop (autêntica geleia belga de pera e maçã – pode ser encontrada no Chez Vous)
5 fatias de pão de forma
Mostarda
Caldo de carne
750 ml de cerveja preta tipo Malzbier
750 ml de cerveja preta
Cravos
Louro
Tomilho
Grãos de zimbro
Uvas passas

 

Modo de Preparo

Almôndegas

1 – Misture as duas carnes moídas, a farinha de rosca, uma cebola processada, a salsinha processada, os ovos, sal e pimenta até obter uma mistura homogênea.

2 – Forme as almôndegas de cerca de 50 g.

3 – Asse por 17 minutos no forno convencional.

 

Molho Chasseur

1 – Na manteiga, refogue 4 cebolas cortadas (brunoise ou julienne).

2 – Acrescente 4 colheres de sopa de Sirop de Liège e misture à cebola.

3 – Acrescente o caldo de carne e as cervejas.

4 –  Leve até fervida e incorpore 4 cravos, as uvas passas e alguns grãos de zimbro. Tempere com sal, pimenta-do-reino e duas folhas de louro. No topo, disponha uma camada de fatias de pão de forma sem casca coberta com mostarda.

5 – Deixe cozinhar até o molho engrossar. Ajuste o tempero,
junte as almôndegas no molho e deixe mais alguns minutos em fogo baixo. Serva com fritas artesanais e/ou acompanhe com maionese caseira

Para harmonizar: Vinho Barone Montalto Terre Siciliane IGP Nero D’Avola Passivento 2017 

 

Moules et Frites

Moules et Frites
Rendimento:  1 a 2 pessoas

Ingredientes
1,2 kg de mexilhões pequenos ou médios
40 g de alho-poró
50 g de cebola roxa
40 g de salsão
25 g de manteiga
Salsinha fresca
4 ramos de tomilho fresco
5 folhas de louro
100 ml de caldo de legumes
150 ml de vinho branco

Modo de preparo

1 – Limpe as cascas dos mexilhões com uma faca curta e guarde na geladeira. Retire as algas com um alicate antes em ir para o fogo.

2 – Corte a cebola, o salsão e o alho-poró em lascas médias.
Em uma panela, derreta a manteiga em fogo médio (de preferência, em uma panela de aço esmaltado),
acrescente a cebola, o alho-poró e o salsão e deixar dourar de 5 a 7 minutos.

3 – Acrescente o vinho branco e, assim que levar até fervura, coloque os mexilhões.
Acrescente o caldo de legumes, o louro e o tomilho e cubra a panela.

5 – Deixe no fogo durante 5 a 10 minutos ou até todos os mexilhões se abrirem. Chacoalhe a panela duas a três vezes durante o processo de modo a misturar os sabores.
Na hora de servir, salpique com a salsinha fresca picada.
Acompanha batatas fritas e maionese caseira

Bon Appétit!

Para harmonizar: Espumante Escorihuela Gascón Extra Brut Rosé

 

Stoemp aux Carottes
Rendimento: 5 porções

INGREDIENTES
1 kg de cenoura em cubos grosseiros
1 kg de batata cortada em 4
250 g de bacon não defumado
250 g de cebola branca
50 g de manteiga
Sal e pimenta-do-reino
1 buquê garni (tomilho, louro, salsinha e alho-poró).
5 linguiças de javali

PREPARO
1 – Doure o bacon na manteiga e acrescente a cebola. Deixe dourar e
acrescente a cenoura.
Molhe com água ou caldo de legume a meia altura e acrescente as batatas, o sal, a pimenta-do-reino e o buquê garni.
2 – Cubra até ferver. Deixe, então, cozinhar em fogo brando até as cenouras e batatas cozinharem.
Enquanto o Stoemp cozinha, frite as linguiças em uma frigideira.
Uma vez prontas, déglaceie a panela com água, cerveja ou vinho branco e acrescente ao Stoemp.
3 – Misture o Stoemp e ao quebrar as batatas absorvem o caldo déglacé das linguiças.
O ponto deve ser macio, nem seco demais, nem úmido demais, para permanecer levemente rústico. Sirva o Stoemp com uma linguiça de javali e molho rôti ao redor.

Para harmonizar: Vinho Tinto Mazzei Belguardo Serrata Toscana IGT

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados