Islândia – Terra em Transe

Rios de água fervente, gêiseres, vapores e fumarolas. Caldeirão em ebulição geotérmica e vulcânica. Isto é Islândia, a Terra em Transe.

Islândia

Conheça a Islândia, a Espetacular Ilha Conhecida Como a Terra do Gelo e do Fogo

No século VII, monges irlandeses em busca de isolamento empreendiam excursões esporádicas as Ilhas Faroe. Vez por outra se aventuravam mais ao norte, em uma ilha remota e desabitada a qual chamavam ThuleEm meados do século IX o viking Naddoddur perdeu-se na viagem da Noruega para as ilhas Faroe e atingiu a costa da Islândia. É considerado o primeiro viking a desembarcar na ilha.

A Islândia tem uma geografia exótica e inóspita. Há 10.000 anos, as geleiras cobriam 100% do país. Hoje, cobrem 10% – o que não é pouco. Numerosos vulcões, geleiras, gêiseres e rios de água fervente formam uma paisagem em constante transformação. De tempos em tempos, violentas erupções modificam a atormentada geografia no interior do país.

Muitas erupções vulcânicas na Islândia acontecem embaixo das geleiras, ocasionando um fenômeno chamado Jokulhlaup – enormes fluxos de água oriunda do intenso derretimento do gelo, que se avolumam em minutos ou horas e pode causar alagamentos devastadores. Por esse motivo, as áreas em torno destes vulcões são desabitadas.

Os gêiseres são uma curiosa feição da Islândia. Crateras com vários metros de diâmetro onde borbulham água ou lamas pastosas e ferventes, fendas estreitas com sibilantes jatos de vapor, buracos que expelem ruídos sinistros. Névoas formadas pelas fumarolas e o onipresente cheiro de enxofre completam o cenário surreal em torno destas curiosas formações geológicas.

A água quente jorra com fartura do subsolo e é inteligentemente utilizada pelos islandeses para esquentar a água fria. Mais do que isso, 95% da energia gerada no país é geotérmica, limpa e renovável.

As águas termais têm também uma importante função social na Islândia. No Brasil, as pessoas vão ao clube ou à praia quando o clima está bom, mas os islandeses vão aos banhos termais principalmente quando o clima está ruim, e lá se conhecem e constroem relacionamentos.

O Blue Lagoon, ou Lagoa Azul, a 55 km de Reykjavik, é o mais expressivo cartão postal da Islândia. Suas águas cálidas de uma incomum tonalidade azul clara são consideradas o melhor banho termal do mundo, formadas por uma mistura de água doce, salgada e uma sílica finíssima, com reconhecidas propriedades terapêuticas e cosméticas.

A Islândia tem vastas regiões desabitadas e uma população pequena, que vive principalmente nas regiões costeiras. Dos 350 mil habitantes, 200 mil vivem na pequena capital Reykjavik. Apesar de sua localização limítrofe ao Círculo Polar Ártico, devido à Corrente do Golfo os invernos são amenos se comparados a outros lugares à mesma latitude. De Junho a Agosto, verão no Hemisfério Norte, é a época do “Midnight Sun”, o sol da meia noite, quando há luz 24 horas por dia. A temperatura é amena e a ilha recebe maior número de turistas.

A crise mundial afetou dramaticamente a economia islandesa, que de país europeu próspero foi direto à lona. Sempre foi um destino descolado, embora caríssimo antes da crise. E há muita coisa interessante para ver e fazer. No centro de Reykjavik, lojas, pubs e restaurantes estão cheios de turistas, atraídos pela forte desvalorização da coroa islandesa, ou krona.

Islandia

A gastronomia é criativa e exuberante, baseada em pescados, frutos do mar e aves marinhas. Reykjavik é uma cidade pequena e as empresas que levam as pessoas aos passeios passam de hotel em hotel, tudo muito pontal e organizado.

A Baía de Husavik, defronte a cidade, é um santuário de baleias, facilmente avistadas em saídas de barco do cais central. Geysir e Gulfoss, a pouco menos de 100 quilômetros de Reykjavik são dois lugares imperdíveis. O Geysir estoura a cada cinco minutos e lança água fervente a 20 metros de altura. O belíssimo Gullfoss é a maior queda d’água da Islândia. Há caminhadas em glaciares, safáris de aves marinhas, passeios de snowmobile e visitas a fazendolas antigas e bucólicas, com seus telhados recobertos de grama.

Os cavalos, pequenos e atarracados, são parte da paisagem islandesa, assim como o golf, uma paixão no país.

Dicas & Serviço

 Como Chegar – a Iceland Air voa a partir de várias capitais européias

Passeios a cavaloIshestar

Safári de BaleiasElding

Gêiseres, Gulfoss e Blue LagoonReykjavik Excursions

Turismo no paísGJ Travel

Quem Leva – A Latitudes tem saídas personalizadas para a Islândia

Turismo na Islândiawww.goiceland.org

Texto e Fotos- Johnny Mazzili

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados