Rüdesheim Am Rheim – Vinhos, Música e Alegria

A encantadora Rüdesheim, na margem do rio Reno, é uma pérola para os amantes de vinho e de uma boa e farta comida alemã.

Rüdesheim Am Rheim
Rudesheim Am Rheim

Como já mencionado aqui, nos próximos dias, rodaremos algumas cidades da Alemanha a fim de explorar o que há de melhor em termos de passeios, enogastronomia e hospedagem. Nosso itinerário, poderá ser acompanhado nesta tag.

O trajeto começou na pequena Rüdeshein Am Rheim, que chegamos vindo direto do aeroporto de Frankfurt, onde locamos nosso carro. A viagem durou pouco mais de uma hora, em estradas boas, e com uma paisagem primaveril exuberante.

Rudesheim é uma pequena cidade de quase 10.000 habitantes, que fica a beira do majestoso Rio Reno. Conhecida pela sua produção local de vinhos, pelo seu museu da música e pelos seus becos charmosos, a cidade nos encantou pela sua hospitalidade.

Chegamos no fim da tarde de uma sexta-feira de céu azul. Hospedamos no charmoso Rüdesheimer Schloss, onde cordialmente fomos recebidos com um Riesling.  O restaurante do hotel, que fica em um espaço encantador e arborizado, situa-se em  frente a uma das ruas mais bonitas da cidade, a Drosselgasse.

Drosselgasse

O dia estava festivo e regado a muita música ao vivo. Era possível observar pessoas bebendo vinho e comemorando o início do final de semana. Enquanto apreciávamos nossa bebida e uma bela salada de queijo de cabra com mel da região, fomos surpreendidos pelo lindo relógio do nosso hotel, que com vários homenzinhos de cima de uma torre rodavam pontualmente a cada hora, tocando badaladas e chamando atenção de todos que passavam por ali.

Parecia que estávamos em uma cidade de livro de conto de fadas. Não é a toa que a Alemanha, o país dos irmãos Grimm, seja paisagem de várias histórias que conhecemos. Reza a lenda que Drosselgasse, por exemplo, é uma das inspirações da autora J.K Rowling, para criação do famoso Beco Diagonal, da saga Harry Potter.

No fim da noite, fomos jantar no Lindenwirt, um restaurante frequentado pelos moradores. Uma banda tocava músicas alemãs e era acompanhada pela maioria das pessoas ali, que cantava e dançava animadamente . A comida era saborosa. Experimentamos um prato recomendado por eles:  linguiças de porco bem temperada, com repolho, tomates e batatas. Estava delicioso!

No dia seguinte,  saímos logo pela manhã, na companhia do Sr. Rainer Deny. Ele conhece a cidade como ninguém e foi nos contando a história de cada cantinho que passávamos. Mostrou no alto da montanha a Abadia de Santa Hildegarda, que não tivemos tempo de visitar, mas que merece, se tiver mais tempo, uma parada.  Além dela, na cidade pode-se visitar o Foltermuseum, um museu sobre a tortura e a caça às bruxas na idade Média, o Brömserburg, que contextualiza a história do vinho na Alemanha e o magnífico Museu de Instrumentos Musicais Mecânicos.

O Museu de Instrumentos Musicais Mecânicos mereceria um capítulo só para ele. A coleção privada, conta com aproximadamente 350 instrumentos distribuídos em 400 m2. Para os amantes de música, como eu, é fácil se emocionar escutando o Danúbio Azul em um daqueles instrumentos tão cuidadosamente conservados. Ficamos impressionados com uma composição de instrumentos que reunidos representavam um palácio árabe. O mesmo foi feito a muito tempo atrás, sob medida,para um húngaro e estava abandonado em Budapeste.Foi recuperado, restaurado e voltou a funcionar.  É possível encontrar lá, desde caixinhas de músicas que imitam perfeitamente canto de pássaros, a pianos que tocam valsas enquanto você faz o tour guiado.

Museu de Instrumentos Musicais Mecânicos

A parte imprescindível da visita é sem dúvida, subir até o monumento de Niederwald. A vista das vinícolas junto ao Reno é arrebatadora. Nós optamos, devido ao tempo reduzido,  subir pelo teleférico, mas com um dia a mais, é possível chegar ao topo, caminhando pelas vinhas. Do alto,  o templo e a estátua em homenagem a unificação da Alemanha, arrancarão suspiros.  Com um céu azul, é difícil querer voltar para o centro. No entanto, voltamos para nossa última parada, a RheinWeinWelt .

Vista do monumento Niederwald

Para os amantes do mundo do vinho, a vinoteca RheinWeinWelt é passagem obrigatória.  Localizada em uma antiga destilaria Asbach, o projeto reúne curadoria de vinhos, artes e produtos artesanais, proporcionando uma experiência única para quem quer provar do melhor da enogastronomia germânica.  Foram selecionados dois rótulos de 76 produtores dos dois lados do Rio Reno.  Para provar os mais diversos tipos de sabores, você adquire moedas ( como aquelas que eram usadas em fliperamas), e vai depositando em máquinas como Enomatics. É um auto–serviço , o que confere total liberdade. Todas as taças custam o mesmo valor, independente do preço da garrafa. A ideia é que de acordo com a história do produtor, composição do vinho e interesse pelo mesmo, você vai escolhendo e viajando pelo Reno, junto com as taças que vai degustando.  O lugar é lindo, aconchegante, desruptivo e com um propósito incrível de valorização da cultura local. Vale passar horas ali, curtindo a música, descobrindo novos rótulos e comendo o melhor dos produtores locais.  Na vinoteca, surpresas sempre serão aguardadas, como por exemplo, o vinho sem álcool da vinícola Carl Jung, que comentaremos em outra ocasião. Almoçamos por lá, e foi maravilhoso.

 

Para finalizar, sugerimos, se possível, hospedar–se pelo menos um dia, de preferência no final de semana, na cidade, mas se não der, um bate e volta por Frankfurt é fácil e vale a pena.

Onde se Hospedar

Rüdesheimer Schloss

Endereço: Steingasse 10, 65385 Rüdesheim am Rhein

Telefone: 06722 90500

Hotel Felsenkeller

Endereço: Oberstraße 39/41, 65385 Rüdesheim am Rhein

Telefone: 06722 94250

Onde Comer e Beber

Restaurante do Hotel Rüdesheimer Schloss

Vinoteca RheinWeinWelt

Hotel Lindenwirt

Texto e Fotos: Mariana Castriota

 

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados