Sabor e sentimento na televisão

Filmes, séries e documentários falam de comidas, bebidas e emoções à mesa no Japão, na China e na Índia. Por Viviane Zandonadi

Samurai Gourmet é uma série sobre o gosto pela vida. Foto: Netflix

Além da belíssima série documental Street Food (leia o texto de Pedro Venceslau sobre o programa que, a cada episódio, mostra as tradições de comida de rua de um país diferente), os canais de streaming e aluguel de filmes oferecem outras joias da comida asiática.

Jiro Dreams Of Sushi (Japão)
DOCUMENTÁRIO | NETFLIX
É a história do sushiman Jiro Ono e os bastidores de sua cozinha. Jiro tem 93 anos. Seu restaurante em Tóquio chama-se Sukiyabashi Jiro, tem três estrelas Michelin e oferece apenas dez lugares. O preço por pessoa de uma refeição passa dos 1 000 reais e a fila de espera é de um mês. Não há cardápio. Cara a cara com Jiro, que faz o que quiser a partir do que coletou em seus fornecedores mais cedo, o comensal prova sushis preparados na hora, um a um. Disciplinado e obstinado, Jiro vive para o trabalho e não espera menos de seus funcionários – não por acaso, tem contas afetivas a acertar com os dois filhos – e acha que uma refeição precisa sempre superar a anterior. “Não cheguei perto da perfeição, mas me sinto extasiado todos os dias. Amo fazer sushi”, diz o homem considerado o melhor sushiman do mundo.

 


Samurai Gourmet (Japão)

SÉRIE DE FICÇÃO | NETFLIX
Takeshi Kasumi acaba de se aposentar, depois de quase quarenta anos trabalhando no mesmo lugar e percorrendo as mesmas ruas no vaivém entre sua casa e o escritório de contabilidade. Nunca deu uma escapadinha para tomar cerveja na hora do almoço, no meio do expediente – seria tão extravagante quanto abocanhar um doce à tarde, jantar churrasco em ritual gorduroso, comer um monte de pratos apimentados. E o que dizer de um lámen industrializado quentinho e reconfortante, depois de uma visita frustrada a um restaurante ruim? E viajar para dormir em uma pousada no litoral só para resgatar, da atmosfera marítima, um café da manhã como o dos tempos de menino? Peixe, arroz, chá. Agora, Kasumi pode fazer tudo isso e muito mais. Uma série sobre o desejo de viver a vida e de dar o devido lugar ao gosto. Sem piadas de aposentadoria, por favor. É só um filme (muito bom, leve, divertido).

Foto: Netflix
Samurai Gourmet é uma série que celebra o gosto pela vida. Foto: Netflix

 

 

The Birth Of Saké (Japão)
DOCUMENTÁRIO | ITUNES (US$ 3,99)
O longa mostra a rotina de uma fábrica de saquê em funcionamento há 150 anos. A Tedorigawa Yoshida Sake Brewery resiste à produção industrial em série e ainda opera ao modo tradicional, que respeita o tempo das coisas e é quase que totalmente artesanal. Para seus empregados, aquilo é um jeito de viver – durante parte do ano, eles chegam a morar na fábrica, longe da família. Um deles diz que fazer saquê é como criar uma vida, da qual você se separa quando ela [a bebida] chega à idade adulta. Sobretudo para os mais velhos, trata-se de uma realidade que começa a desaparecer diante da impaciência da nova geração e do mercado. É um belo filme. Reflexivo. Ótima oportunidade para aprender que o saquê é bem mais do que um fermentado de arroz.

 

Midnight Diner – Tokyo Stories (Japão)
SÉRIE DE FICÇÃO | NETFLIX
Midnight Diner é um restaurante japonês em uma ruazinha de Tóquio. Funciona da meia-noite às sete da manhã e em seu cardápio há um único prato e poucas bebidas. Só que o cozinheiro tem uma política de acolhimento bastante peculiar: ele se propõe a preparar qualquer outra receita, desde que tenha os ingredientes. Algumas pessoas fazem as compras e levam para ele. É uma garantia de que terão um pedido especial atendido. O balcão desse lugar também funciona como uma espécie de consultório sentimental. Os clientes, habitantes de Tóquio, a cada episódio trazem dilemas variados e que pedem uma solução inspirada entre chiados de fritura, caldeirões borbulhantes e caldos sorvidos direto da tigela.

Este balcão funciona como uma espécie de consultório sentimental. Foto: Netflix
Este balcão funciona como uma espécie de consultório sentimental. Foto: Netflix

 

 

A Origem do Sabor (China)
SÉRIE DOCUMENTAL | NETFLIX
Está em cartaz na Netflix um documentário em vinte capítulos sobre a comida tradicional em uma região chinesa chamada Chaoshan. A produção – bonita e apetitosa em som e imagem, como já virou padrão – é do tipo maratonável e/ou fácil de encaixar entre uma e outra atividade. Os episódios têm menos de 15 minutos. Ao estilo ponto a ponto, A Origem do Sabor apresenta a vida de vários ingredientes – como são produzidos e tratados e manipulados –, até o momento em que chegam a compor alguma receita que no final será devorada com muito prazer. Caranguejo, pasta de soja, ostra, folhas de chá, peixes, mariscos. Tudo é pretexto para as filmagens e os retratos sinestésicos feitos nas ruas, em cozinhas de restaurantes e nas casas das pessoas.

Episódios curtos sobre um canto muito gastronômico na China. Foto: Netflix
Episódios curtos sobre um canto muito gastronômico na China. Foto: Netflix

 

 

The Lunchbox (Índia)
LONGA DE FICÇÃO | ITUNES (US$ 3,99)
Na Índia dos dabawallas, entregadores de marmitas que nunca erram, aconteceu (em filme, pelo menos): um deles trocou as quentinhas. Foi assim: uma mulher, na tentativa de despertar o marido ausente, sempre com a cara no celular ou na televisão, pediu umas dicas de tempero para a tia e preparou uma refeição extraordinária para mandar para o marido. Só que o rapaz trocou as quentinhas e entregou a lancheira para um outro homem. Um viúvo sensível e inteligente que mal podia acreditar na própria sorte: adorou a comida. Não demora para os dois entenderem o que ocorreu e, ao modo “nunca te vi, sempre te amei”, passarem a conversar por bilhetinhos na marmita. Pronto, começa aí um romance epistolar. Uma graça. Dá muito o que pensar (sem falar na fome).

Um romance epistolar inesquecível. Foto: divulgação

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados