Uruguai Roadtrip

O encantador do Uruguai é a sua diversidade. Além de oferecer diversas opções de passeios e atividades, nosso vizinho é um excelente destino para a gastronomia e o enoturismo.

Conheça as opções de vinhos Uruguaios disponíveis no Clube Paladar do Estadão.

Chegamos ao Uruguai, numa típica manhã de outono, fria e ensolarada.  A viagem de São Paulo até Montevideo é curta e em apenas 2:10 minutos já estávamos em terras uruguaias. Outra facilidade é a documentação, é possível ingressar no país apenas apresentando o R.G.

Além de oferecer muitas opções de passeios, é um excelente destino para o enoturismo, mais perto do que o Chile e a Argentina, com passagens a preços convidativos, bons vinhos, uma natureza exuberante, praias badaladas como Punta del Este e José Ignacio e hotelaria de luxo. Preparados para receber o turista brasileiro, na maior parte das vinícolas, restaurantes e hotéis, atendentes solícitos com o português na ponta da língua estavam dispostos a nos fazer sentir em casa. O Uruguai também é a viagem ideal para quem gosta de jogar. Há cassinos em todas as cidades. Com tudo isso, torna- se muito fácil se deixar seduzir e encontrar motivos para retornar.

Encontramos bodegas pequenas e familiares que produzem de forma artesanal há mais de 100 anos e outras modernas e tecnológicas, com produções anuais de milhões de litros. Apesar de a uva ícone ser a Tannat, com sua força, vigor e boa vocação para guarda, outras variedades se adaptaram muito bem por lá, como é o caso da Cabernet Franc, Syrah, Merlot, Albariño e Viognier.

Nossa viagem foi uma deliciosa Roadtrip (que já valeu por si só pelas paisagens deslumbrantes na estrada) e começou pela  “Fiesta del Tannat y Cordero”, que faz parte do calendário oficial anual da Associação de Turismo Enológico do Uruguai e acontece no primeiro fim de semana do mês de junho, quando as vinícolas participantes preparam pratos à base de cordeiro (uma das carnes mais consumidas no país) para harmonizar com vinhos produzidos com sua uva ícone, a Tannat. Uma oportunidade única para saborear as diversas receitas, onde cada bodega apresenta sua interpretação dessa combinação.

Establecimiento Juanicó

Seguimos de carro por cinquenta minutos até Canelones, região mais tradicional de produção e onde encontram-se a maioria das vinícolas.  Fomos conhecer o Establecimiento Juanicó (declarada Monumento Histórico Nacional, devido às suas construções preservadas desde a fundação) e uma das participantes da Fiesta del Tannat y Cordero.  Basta um passeio pela propriedade, que é linda e bucólica, para entender o título. A sala de espera e o restaurante são uma visita ao passado, as paredes de tijolo e as vigas de madeira no teto com as telhas aparentes, lembram as casas antigas das fazendas de café. Mas a cantina, onde o vinho é produzido, conta com todas as modernidades necessárias para fazer desta uma das maiores produtoras de vinho.

A chefe Mechi Deicas preparou uma Moussaka de Cordeiro que harmonizamos com um dos ícones da casa, o Massimo Deicas Cru Tannat 2010 – combinação dos Deuses! O vinho produzido nos moldes dos Crus Garage de Bordeaux, é elegante,  tem notas de chocolate, ameixa preta, canela e alcaçuz. Em boca é  macio, untuoso e com longo final. Ficou perfeito com a moussaka de cordeiro com delicados toques de canela e menta. Essa harmonização funciona assim tão bem porque, sendo a Tannat uma uva com muitos taninos, tudo o que ela precisa para ficar redonda é gordura e proteína, encontrados no cordeiro.

Mas a Tannat é muito mais versátil do que isso, para nós brasileiros que adoramos um churrasco, por exemplo, ela é uma das melhores harmonizações. O PIZZORNO Primo, vinho ícone da  Bodega  Pizzorno Family Estate, também localizada na região de Canelones, é um corte que mistura a Tannat com Cabernet Sauvignon e Merlot das melhores parcelas da propriedade, criando um rótulo de excelência para guardar por muitos anos e que fica divino com com a costela na brasa, assada por horas, até ficar macia. As notas defumadas e de compota de figos, os taninos aveludados e a elegância do vinho em conjunto com a costela fazem uma harmonização inesquecível. Mais acessível do que o primeiro, o Pizzorno Tannat Reserva ficou perfeito com a picanha e pimentões vermelhos na brasa. Em sua quarta geração, a família mantém o mesmo cuidado, e não por acaso, os vinhos dessa vinícola boutique estão  hoje entre as melhores produzidos no país.

879 House em Montevideo

Os uruguaios tem o hábito de fazer as meriendas, que equivalem ao nosso cafezinho da tarde, porém lá, ao invés do café, tomam chá acompanhado de várias guloseimas como croissants e geléias. Fomos  conferir o costume na 879 House (Montevideo) que é um lindo casarão antigo coberto por heras, muito bem decorado e aconchegante.

As estradas são muito boas e as distancias curtas, por isso optamos por viajar de carro. Muitas vinícolas encontram-se na região de Montevideo, como a  Bodega Bouza, projeto familiar com produção limitada e que tem alcançado boas pontuações em seus vinhos.  A visita  vale a pena também para os amantes de carros e motocicletas antigos, que podem almoçar no  delicioso restaurante e conhecer a exclusiva coleção do proprietário. Aproveite para passear pelo jardim e observar os pavões e patos que vivem soltos pela propriedade. A noite, optamos por um jantar mais leve e informal e fomos conhecer o recém-inaugurado Mercado Ferrando, em Montevideo. O espaço reúne diversos stands com comidas e bebidas preparadas na hora para serem consumidas no local. Os expositores são selecionados cuidadosamente. A idéia é trazer “alimentos com propósito” e por isso a curadoria do mercado privilegia produtos locais e de pequenos empreendedores.

Colonia del Sacramento

No outro dia, seguimos até  o Departamento (estado) de Colônia, a 189 km de Montevideo. Nessa região encontram-se Colonia del Sacramento e Colonia Valdense.  Colonia del Sacramento é uma cidade histórica que foi fundada em 1680 por portugueses e passou por inúmeras disputas de posse entre Portugal e Espanha,  por mais de 100 anos.  A cidade é um cartão postal e foi tombada pela Unesco, como patrimônio Cultural e Histórico. Passeie por suas ruelas de paralelepípedos, observando as casas de séculos passados no mais puro estilo português colonial.  Nos arredores da praça principal, há vários cafés e restaurantes com mesinhas na calçada.

Fundada em 1858 por imigrantes italianos do Piemonte, a pequena cidade Colonia Valdense concentra a maior produção de queijos do país. As queijarias, assim como boa parte das vinícolas do Uruguai, são negócios familiares há gerações. Porém, diferentemente das bodegas, nao estão abertas para visitações, por isso fica a dica para procurar queijos dessa região nos empórios e mercados durante sua viagem. Os mais famosos são os do tipo gouda, parmesão, queijo azul, muçarela e frescal.

Sheraton Colonia Golf e Spa

Para se hospedar existem boas opções. Optamos pelo Sheraton Colonia Golf e Spa. Os quartos são muito confortáveis e o café da manhã delicioso. No verão, aproveite para apreciar a linda vista da piscina entre um mergulho e outro e no inverno, desfrute da piscina interna e das massagens no spa.

Ainda na região, em  Laguna de los Patos, fica a Bodega Bernardi, com 130 anos de tradição e produção familiar artesanal. O prédio e as instalações são bem preservados e quase não passaram por atualizações. São os próprios donos, os irmãos Monica e Roberto, que atendem e fazem a degustação dos vinhos e das grappas. As barricas de madeira, muito antigas, receberam um toque de arte com pinturas de artistas locais, contando um pouco da história da família. A grappa de Tannat me impressionou bastante. Quanto aos vinhos, a estrela da casa é o Cabernet Franc, que se adaptou muito bem no Uruguai.

Almacén de la Capilla

Seguimos para Carmelo, onde as paisagens e casas fazem lembrar a Toscana. Começamos o passeio pela Cordano Almacén de la Capilla. Diego Vecchio e sua mulher Ana Paula Cordano, tomam conta do lugar que foi fundado em 1855 (ela é da 5ª geração da família).

O povo Uruguaio valoriza muito as tradições, a família e os costumes, por isso encontramos recantos como esse, um verdadeiro achado, um lugar preservado que parece parado no tempo. Com uma produção artesanal de vinhos, azeites, doces caseiros e azeitonas, estão abertos para degustação e venda de produtos.

Chalé de madeira para hospedagem no meio do vinhedo

Lá, encontramos também uma das hospedagens mais românticas da viagem: um único chalé de madeira, localizado no meio do vinhedo e cercado por lavandas, que mais parece ter saído dos contos de fadas. Quem se hospeda na cabana recebe uma cesta de picnic para o café da manhã, preparada pelos proprietários e forrada de guloseimas feitas no local.

Atravessando a rua está a Campotinto, bodega, pousada e restaurante, de propriedade do empresário argentino Diego Vigano. A casa foi totalmente restaurada com a preocupação de manter as características originais, os quartos amplos foram decorados e adaptados para a pousada. Na bodega são produzidos vinhos de alta qualidade com lotes limitados. E é possivel fazer um picnic gourmet no vinhedo ou passear pelas redondezas com bicicletas fornecidas no local.  Almoçamos no restaurante da Campotinto, serviço impecável e cuidado que começa na escolha dos produtos e cultivo orgânico.

Restaurante da Campotinto

Carmelo conta com hotelaria de ponta que vai desde hospedagens em vinhedos e hotéis boutique, até o luxuoso Carmelo Resort & Spa The Unbound Collection by Hyatt, que tem infra-estrutura para eventos, acomodações lindas e um spa completo, com vista para um bosque e direito a tratamentos com vinhoterapia.

Área externa do Carmelo Resort & Spa The Unbound Collection by Hyatt

É do mesmo proprietário, o argentino Pacha Cantón,  o exclusivo e super charmoso Narbona Wine Lodge Relais & Chateau, que é uma vinícola e hotel boutique. Diferente do Hyatt, o Narbona conta com apenas 5 suítes, todas com nomes de uvas. Ficamos  na Sauvignon Blanc, lindamente decorada e que conta até com ponchos bem quentinhos aos pés da cama para serem usados no hotel durante a estadia. Do lado de fora, espreguiçadeiras convidam para a contemplação do vinhedo bem em frente da suíte.

Todos os detalhes neste Relais Chateaux são um charme. Os vinhos são espetaculares, os queijos, azeites, doce de leite, iogurtes, granolas, compotas de frutas e massas caseiras, verdadeiras gostosuras, fazem parte da produção local e artesanal. No jardim colonial os arcos cobertos por heras e flores levam até a piscina que também tem vista para o vinhedo.

Narbona Wine Lodge Relais & Chateau

Ao fim do dia, a dica é a degustação na cave subterrânea, um dos pontos altos da viagem. Um lugar aconchegante, com mesa rústica de madeira, cercado de barricas, à luz de velas e ao som de Bob Dylan, onde provamos os vinhos harmonizados com queijos, azeites e castanhas, tudo de produção da bodega. Momentos únicos.

Após a degustação, jantamos no restaurante  do hotel, que fica junto ao empório, onde é possível comprar toda a linha produzida por eles, desde os vinhos ao divino doce-de-leite.

Mudando completamente o cenário e as paisagens, nos despedimos de Carmelo e seguimos para Maldonado, na região das praias, onde estão Punta del Este e José Ignacio.

Maldonado recebe muitos turistas no verão, que vem em busca de badalação, restaurantes estrelados, hotéis bacanas, baladas, cassinos e praia. Um apartamento à beira mar em Punta pode valer cinco milhões de dólares.

Algumas vinícolas começaram a se instalar nos arredores, pois estudos de solo provaram que não só de badalação precisa viver Maldonado, que tem um terroir excelente para o cultivo das videiras.

Viña Edén

A apenas 25 km de Punta está a Viña Edén, propriedade de um brasileiro. A chegada é impactante, com paredes de vidro que vão até o chão, e uma vista panorâmica maravilhosa. A localização privilegiada, permite inclui-la na programação mesmo em uma viagem que o foco não seja o vinho, (durante a temporada de verão em Punta, por exemplo). O passeio vale nem que seja apenas para almoçar no delicioso restaurante. O terroir da Edén é similar ao de Chablis. O solo mineral e a influência marítima são fundamentais para dar origem a vinhos de alta qualidade.  A proposta do restaurante também é singular. Além da vista privilegiada, eles tem o cuidado de selecionar alimentos orgânicos e procuram trabalhar com produtos locais, inclusive, uma horta orgânica no jardim, para atender o restaurante. Na bodega, foi feito um investimento em equipamentos e tanques de cimento italianos super modernos, que permitem que ocorra a microoxigenação durante a fermentação. Tudo isso garante vinhos de alta qualidade.

Outro investimento argentino na região é a magnífica Bodega Garzón. O casal Bulgheroni criou um lugar de magia e sonho. Tudo é pensado visando a excelência, sem entretanto deixar de lado o cuidado com a sustentabilidade e meio- ambiente. A propriedade  moderna, com muito vidro, pedras e madeira, está cercada de oliveiras, castanheiras, vinhedos e um bosque nativo. Todo esse verde pode ser apreciado através das janelas e paredes de vidro do restaurante e da recepção. Eles também criaram um clube de vinho super exclusivo, com ares de sociedade secreta, para apenas alguns escolhidos, onde recebem os membros para jantares e degustações privadas. Os sócios tem suas próprias adegas para guardar rótulos de suas coleções e charutos. E também podem criar seu próprio vinho, com o acompanhamento e orientação dos enólogos da bodega. Muito chic!

Bodega Garzón

No restaurante, com assinatura do badalado chef argentino Francis Mallmann, os pratos são preparados em grelhas específicas, os chamados fuegos, onde oferecem “Menu de Mercado” com produtos frescos de cada estação, preparados pelo criativo chef Ricki Motta, que comanda a casa. O serviço é à francesa e é possível optar por menu degustação de 3 ou 5 pratos, que seguem as estações do ano. Cheguei pensando em Tannat, mas confesso que foram o Pinot Noir e o Albariño, que me conquistaram em primeiro lugar. Vinhos com personalidade, encantadores.

No outro dia, seguimos para a Bodega Alto de la Ballena. Depois de tanta modernidade e sofisticação nas outras vinícolas, foi a vez de nos encantarmos com a simplicidade desta bodega de garagem, uma ode à natureza. Situada na Serra de la Ballena, a 15 km do mar, recebe a brisa marítima. Seu solo pedregoso faz deste um terroir de excelência para produção de vinhos de autor, alta qualidade e tiragem limitada. Não espere pompa, porém, a simpatia dos donos Paola e Alvaro, que guiam o passeio do inicio ao fim, assim como a paisagem exuberante do local e vinhos autênticos, garantem uma visita memorável. Não há restaurante, mas avisando com antecedência, podem preparar uma cesta de picnic. Outra curiosidade: o projeto pioneiro conta com a ajuda dos Grupos CREA (Centro Regional de Experimentação Agrícola), um grupo de produtores de vinhos associados que se ajudam e visitam cada uma das bodegas dos integrantes, para auxiliar e aprender. Aqui, estão todos unidos por um bem maior e a preocupação em produzir bons vinhos é mais importante do que a preocupação com a concorrência.

Bodega Alto de la Ballena

Terminamos nossa visita ao Uruguai com boas lembranças e a sensação de que ainda temos muito a descobrir. Seja uma escapada em um fim de semana prolongado ou uma viagem mais longa, no verão ou no inverno, venha disposto a se apaixonar.

Info

Quem leva – LATAM

 

Em Carmelo – Vinícolas & Hotéis

Cordano Almacén de La Capilla (vinícola e pousada)

Campotinto (vinícola, restaurante e pousada)

Narbona Wine Lodge Relais & Chateau (vinícola, restaurante e hotel)

Carmelo Resort & Spa The Unbound Collection by Hyatt

Em Maldonado – Vinícolas & Restaurantes

Viña Edén (vinícola e restaurante)

Bodega Garzón (vinícola e restaurante)

Bodega Alto de la Ballena (vinicola)

Visitas

Casapueblo (museu, bar, restaurante e hotel)

Parque de Esculturas Fundación Pablo Atchugarry

Em Colonia – Queijos

La Positiva

La Brida

Onde ficar

Sheraton Colonia Golf Spa

Onde comer

Restaurante del Carmen, Radisson Colonia

La Pulperia de los faroles

Vinicolas

Bodega Bernardi

Em Montevideo – Onde ficar

My Suits Boutique Hotel & Wine Bar (ótima localização)

Onde comer

879 House

Mercado Ferrando

Vinícolas

Bodega Bouza

Em Canelones

Bodega Família Pizzorno

Estabeleciemento Juanicó 

Santoral Restaurante e Pousada

 

Agradecimentos

Ministério de Turismo do Uruguay

Arabella Comunicação

Texto: Daniella Romano / Fotos: Vicky Romano

 

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados