Vinhos de cinema: Francis Ford Coppola

Vinícola do cineasta, na Califórnia, tem bons tintos e brancos e um museu com peças originais de seus filmes. Por Tatiana Babadobulos

A propriedade de Coppola aberta à visitação fica no coração de Sonoma. Foto: Chad Keig
Parreiral de Coppola tem 6.000 metros quadrados. Foto: Chad Keig

 

Era como se Marlon Brando estivesse sentado àquela mesa, pronto para pronunciar uma de suas falas mais marcantes em O Poderoso Chefão (The Godfather), longa-metragem dirigido por Francis Ford Coppola em 1972. Enquanto eu me lembrava da cena protagonizada por don Vito Corleone, o chefe da família mais influente do pedaço, fiquei parada na porta, olhando a mesa e os demais objetos que estavam no museu localizado na Francis Ford Coppola Winery, a vinícola do cineasta, em Geyserville, na Califórnia (EUA).

Ao olhar cada item, comecei a reviver muitos de seus filmes. No ambiente não há somente o mobiliário marcante da cena de abertura do longa, quando Corleone, sentado durante o casamento de sua filha, ouve Bonasera lhe fazer um pedido. Tem também outros objetos, como telefone, fotos, recortes de jornais da época, cinco estatuetas do Oscar, Globos de Ouros, prêmios de Cannes, pôsteres dos lançamentos. Entre os itens da cenografia, exibem-se, entre outros, a taça de coquetel que esteve em O Fundo do Coração (One for the Heart, de 1981), o automóvel original do filme Tucker: Um Homem e seu Sonho (Tucker: A Man and His Dream, de 1988) e o figurino de Drácula de Bram Stoker (Dracula, de 1992). Tem até um navio do longa Maria Antonieta (Marie Antoinette, de 2006), dirigido por sua filha, Sophia Coppola.

 

 

O mais marcante, porém, é O Poderoso Chefão, que ganhou mais duas sequências e marcou a história do cinema e a cinematografia do realizador para sempre. Fiquei tão sem palavras com o museu, que não foi tão traumático não conseguir visitar o parreiral (afinal, estamos em uma vinícola). A uva mais cultivada na Califórnia, a Zinfandel, já havia sido colhida naquela tarde de abril. O que deu para fazer, além de conhecer o museu, foi experimentar alguns exemplares ali, na hora. Escolhemos o ar livre, pois fazia calor, e tomamos um Pinot Grigio leve e refrescante. Mas não muito, porque estávamos de carro e aí já viu… Aproveitamos para trazer alguns rótulos para casa.

A VINÍCOLA

A região vinícola Alexander Valley, onde está Geyserville, fica a pouco mais de 110 quilômetros ao norte de São Francisco, no coração do condado de Sonoma, justamente onde nasceu a indústria do vinho na Califórnia, o estado mais ensolarado dos Estados Unidos. Lá são cultivadas, entre outras, as uvas Zinfandel, Cabernet Sauvignon, Merlot e Sauvignon Blanc. Foi em 2006 que o casal Francis e Eleanor Coppola começou o que, desde 2010, é conhecido como Francis Ford Coppola Winery, um resort vinícola com bares de degustação de vinhos, dois restaurantes, piscina com cabines individuais, galeria de filmes (o museu que eu babei quando cheguei), pavilhão de artes cênicas e parque com mesas de jogos. As parreiras ocupam quase 6.000 metros quadrados e têm capacidade de produzir até 10 mil caixas por dia. Eleonor, que Francis conheceu em 1962 durante uma filmagem em Dublin, na Irlanda, também se aventurou na direção cinematográfica.

Naquela época, ela fazia parte do departamento de arte, mas seu primeiro longa-metragem de ficção estreou em 2016, o road-movie Paris Pode Esperar (Bonjour Anne). O design da vinícola foi projetado por um especialista em arte no cinema, Dean Tavoularis, que Francis conheceu no set de O Poderoso Chefão e o acompanhou em outras produções, como Apocalypse Now (1979) e o curta Life without Zoe, que integrou a trilogia Contos de Nova York (New York Stories, de 1989). O portfólio exibe mais de 40 tipos vinho, distribuídos entre diferentes marcas desenvolvidas por Corey Beck, CEO da empresa e enólogo veterano no estado (leia mais sobre o catálogo, correndo a tela para baixo).

Se preferir participar de degustações harmonizadas, os menus mudam regularmente. Para fazer o passeio pela vinícola – que dura duas horas e ensina o processo pelo qual o vinho é obtido –, é preciso reservar com antecedência pelo site. Eu mesma não consegui conhecer. A tempo: enquanto os pais se divertem aprendendo um pouco mais sobre as bebidas, as crianças podem se entreter na piscina. E não são apenas as crianças, obviamente, que se jogam na água. Há muitos adultos que aproveitam para se refrescar do calor da Califórnia com passes diários.

 

Comfort food: pedida do Rustic, o Mrs. Scorsese Lemmon Chicken é um frango assado ao limão com arroz branco. Foto: divulgação

 

Para comer, o restaurante Rustic traz massas italianas, pizzas, além de parrillas argentinas com vista para o Alexander Valley. No Rustic Bar, são oferecidos aperitivos antes do jantar. Há coquetéis, cervejas selecionadas e café. Nas noites de terça, o banquete é no A Tavola, quando o salão ganha ares de restaurante familiar (com direito a alegre cantoria) e inspirado na maneira preferida de o diretor apreciar uma refeição. O Pool Café, que fica na piscina, é sazonal e lembra um bar praiano. Para matar a fome entre um mergulho e outro, os banhistas pedem saladas, sorvetes e paninis.

Sim. A vinícola do cineasta é um acalento para os cinéfilos, que vão adorar conhecer um pouco mais da sétima arte em um local que fica a pouco mais de 700 quilômetros de Hollywood. Mas daí é outra história.

***

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre