Vinhos e frutas: como não errar na hora de harmonizar?

Reunimos uma porção de sugestões interessantes para você

vinhos e frutas

Se você sente certa insegurança na hora de combinar o vinho com algum tipo de fruta, saiba que não há com que se preocupar! Isso porque, além de ser comum que as pessoas se batam um pouquinho na hora de harmonizar a bebida com determinados alimentos – e inclusive existam aqueles que debatam calorosamente sobre o tema –, a verdade é que, hoje em dia, a abordagem se tornou muito mais flexível e informal.

Nada impede que você experimente combinações e crie a sua própria seleção de harmonizações. Entretanto, se o que você busca é conhecer princípios básicos e regrinhas gerais de como servir vinhos e frutas, aqui você encontrará uma porção de dicas interessantes. Então, sirva-se de uma taça e venha conosco!

Sauvignon Blanc

Esse vinho se caracteriza pela leveza, pelo alto índice de acidez e pelas notas cítricas; portanto, combina superbem com frutas como maçãs-verdes, cerejas-negras, peras, pêssegos, coco fresco e tomates – porque, afinal, eles são frutos também, lembra?

Pinot Noir 

O Pinot Noir é um vinho de graduação alcoólica relativamente elevada, tanino médio para baixo e acidez média a alta, e seu sabor costuma incluir notas de frutas silvestres. Sendo assim, para não errar, você pode apostar em harmonizações com morangos, figos, cerejas e maçãs. Aliás, esse vinho também vai superbem com frutos secos.

(Fonte: Pexels)

Chardonnay

Existem diferentes formas de se produzir um Chardonnay – vinho branco encorpado e cheio de acidez cujo sabor normalmente se sobressai, independentemente do alimento com o qual ele é servido. De qualquer modo, antes de tentar harmonizar o Chardonnay com frutas, é importante saber se se trata de uma versão com mais corpo ou mais leve da bebida e se ela envelheceu em barril de carvalho ou não. Para não errar, combine com maçãs, mangas e pêssegos.

Syrah

O Syrah está entre os mais populares varietais que existem por aí – e é produzido em várias partes do mundo, o que significa que, dependendo de sua origem, o vinho terá diferentes características. No entanto, a bebida costuma ter notas de baunilha, frutas silvestres e carvalho queimado e harmoniza bem com mirtilos bem maduros, groselha, cassis e tomatinhos adocicados.

Riesling

Eis um vinho que combina com vários tipos de alimentos, graças ao equilíbrio entre acidez e doçura, o que permite um grande leque de opções na hora da harmonização. No caso das frutas, especificamente, as melhores alternativas para servir com um Riesling são peras, damascos, amoras e goiabas.

(Fonte: Pexels)

Merlot

Esse vinho, caracterizado por apresentar baixo nível de tanino, graduação alcoólica elevada e cor encorpada, pode trazer notas de ameixa, frutas silvestres e até puxar para o chocolate, harmonizando bem com maçãs, figos e uvas – assim como as ameixas e frutas vermelhas que podem ser sentidas em seu aroma.

Tempranillo

Os vinhos produzidos com esta uva de origem espanhola geralmente apresentam baixa acidez, graduação alcoólica média e profunda coloração, assim como sabor frutado que combina superbem com framboesas, amoras e ameixas.

Zinfandel

A Zinfandel – famosa uva californiana – pode ser usada tanto na produção de vinhos tintos como brancos (com cara de rosé!), embora a segunda modalidade seja ligeiramente mais famosa. O tinto costuma ter taninos de médios a altos, elevada graduação alcoólica e notas de framboesa ou amora, enquanto a versão branca/rosé geralmente é frutada e adocicada ao paladar, e os vinhos podem ser harmonizados com amoras, no caso do tinto, ou com peras e maçãs, quando a alternativa for o branco.

E, já que mencionamos a variedade rosé, saiba que esses vinhos combinam com frutas tropicais, como as bananas; e não custa lembrar que o Champagne encontra sua combinação perfeita com morangos.

 

Autoria: Maria Luciana Rincon y Tamanini.

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados