Vinícola da edição – Luiz Argenta

Uma agradável visita à vinícola que vem sendo considerada uma das mais bonitas do Brasil

luiz argenta

Saindo de Bento Gonçalves num domingo de manhã, cheguei à aprazível cidade de Flores da Cunha e segui direto ao meu destino. Ao subir a rampa de acesso à sede da vinícola, tive uma visão privilegiada de vinhedos verdinhos que se estendem adiante, formando uma belíssima colcha com diferentes tons de verde. A vinícola Luiz Argenta tem uma construção arrojada e imponente, e sua localização, no declive de uma colina suave, permite uma vasta visão dos cenários ao redor. O dia estava quente, ensolarado e de céu azul, o que ressaltou a beleza e a profundidade da paisagem. Um belo começo, pensei. E foi isso mesmo: apenas o começo de uma jornada gratificante de experiências e aprendizado.

 

 

Fui recebido pelo enólogo Edegar Scortegagna e pelo proprietário Deunir Argenta. Empresário de sucesso no setor de combustíveis, no passado Argenta foi garçom, cobrador de ônibus e contador, entre outras profissões que exerceu. Em 1999, ele vislumbrou uma oportunidade de negócio ao adquirir a propriedade que fora da antiga Vinícola Riograndense, fundada em 1929 e detentora da marca Granja União. No começo, ele pensou em utilizar a área para construir um condomínio residencial ou parque industrial, mas, como um apaixonado pelo vinho, se encantou com a história da Vinícola Riograndense e, então, lançou as bases de sua vinícola. A produção de vinhos teve início em 1999 e a arrojada sede foi inaugurada dez anos depois.

Além do cargo de sommelier chefe na vinícola, Scortegagna é presidente da ABE, a Associação Brasileira de Enologia. Com muitos anos de estudo e aperfeiçoamento em diversos países, principalmente na Itália, ele é o responsável pela alta qualidade dos vinhos que experimentei e que vêm dando à vinícola uma projeção merecidamente crescente. Para onde quer que olhemos, é visível o alto investimento. Toda a circulação de líquidos no processo produtivo se dá por gravidade, sem bombeamento de mosto ou vinho, preservando a qualidade da matéria-prima. A adega subterrânea é moderna e tem uma acústica especial, que em determinados pontos amplifica a voz dos visitantes, como se estivessem falando ao microfone.

Esparramados em 55 hectares, os vinhedos situam-se entre 750 metros e 800 metros de altitude. Todos os vinhos da vinícola são elaborados exclusivamente com uvas cultivadas na propriedade. Após um agradável giro pelos vinhedos de Syrah, Cabernet Franc e Riesling Itálico, acompanhado por Scortegagna, voltamos à vinícola para experimentar os vinhos no restaurante panorâmico, onde era grande a movimentação de turistas. A comida é impecável e a visão ampla dos vinhedos aprofunda e valoriza a experiência. Nessa visita, experimentei seis ou sete vinhos, todos muito elegantes e bem elaborados. Destaque para um surpreendente e opulento tinto de uvas Merlot passificadas, de uma produção muito restrita.

Daiane Argenta, filha de Deunir, é seu braço direito e responsável pela comunicação e pelo marketing da vinícola. Ela optou por utilizar belíssimas garrafas de formatos inusitados, importadas da Itália, que hoje agregam valor aos vinhos e raramente são descartadas pelos consumidores, que, após beberem os vinhos, as utilizam como objetos de decoração. “Nossa estratégia é não depender muito do mercado das grandes capitais, e aproximadamente 30% de nossos vinhos são comercializados aqui mesmo na vinícola”, diz Daiane.

Vinícola Luiz Argenta
Avenida 25 de Julho, 700, Flores da Cunha, RS, tel.: (54) 3292-4477

Receba mais conteúdo por e-mail

Veja mais sobre

Posts relacionados